19 de outubro de 2015

A verdade da Lua



Hã... 
Eu não sei bem como começar este post. Embora, eu já fiz ele várias e várias vezes e apaguei. Mas com o comentário da Cecy no post anterior, eu tomei coragem...
Não sou uma pessoa de se orgulhar, ou de dizer ' Olha como sou forte!! '. Pelo contrário, sou quebrada em vários pedaços, realmente como uma boneca, que foi deixada para trás. 
Sou sim Auto- Mutiladora. Mas não sou á 1 mês não, sou auto- muti* á muito tempo. Mais do que eu mesma posso me lembrar. Antes disso ser uma " modinha ". Sou toda ferrada por fora e por dentro. Não posso usar shorts, não posso usar saias, não posso usar vestidos. Só posso usar isso se for bem abaixo dos joelhos. E nos braços a mesma coisa. Só que como eu moro em um país de extremo calor, eu parei de me machucar nos braços. Então só tenho algumas cicatrizes. Vocês devem está pensando como o meu boy reagi sobre isso. Mal. Muito mal mesmo, ninguém que ama gosta, de ver a pessoa sofrendo. Se eu ficar de calcinha e sutiã, é bem capaz dele chorar. O medo dele não me querer por causa disso, é grande, foi grande digamos. 
Não posso específicar o motivo de ter me levado para este caminho. Porque é pesado demais, e é feio demais. Ninguém merece ler isso, que dirás ler o que eu tenho guardado. O meu motivo não é por namorados, ou por qualquer outra coisa digamos " da vida ". É pesado, é ruim e eu não consigo carregar isso. Comecei com socos, depois com beliscões. Mas em um certo dia, bebi uma garrafa de Vodka inteira, e eu estava jogada no chão do quarto. Bem perto das coisas do meu boy, eu vi as laminas... Eu peguei algumas, eu cortei todo o meu joelho. Bebi mais e acordei com a minha prima me gritando no corredor. Ela dizia ' você está bem? hey Lua, ohhhh por favor acorde '. Mas eu só ouvia um barulhinho de nada, os meus ouvidos estavam meio tapados sei lá. Ela me dizia, ' jogue a chave no terreno, vamos...' Eu estava á poucos metros da chave, me arrastei e tentei por algumas vezes jogar do outro lado. Até que consegui, mas só acordei sentada no banheiro, nua com uma água gelada no meu corpo. Nesse dia ela cuidou de mim, me deu remédio para enjoo, e fez um café amargo. Me perguntou o que houve nos joelhos, e eu não disse nada. 
O boy chegou e ela disse, que eu não estava bem. Mas que fez o possível para cuidar de mim, e que eu tinha caído no corredor. ( Eu pensei, boa menina!! ) Depois desse fato eu não fiz mais por alguns meses, eu prometi não fazer nada. Prometi á mim mesma. Mas com o passar dos anos tudo piorou, era laminas todo o dia, laminas toda hora, era dor, era ódio, era rancor, era raiva, era sangue, era Bandagens, era curativos, era tudo... tudo uma grande merda. 
Não sei dizer porque de tudo isso. Eu era tão alegre, eu queria vencer o mundo. Eu queria ter sonhos, eu queria vencer os sonhos, criar metas, vencer as metas. Mas hoje.... Hoje eu não quero nada, eu não tenho vontade de nada. Eu não quero nada, e não procuro nada. Eu não tenho força e ânimo pra nada. A minha mãe via as marcas e se perguntava, o que estava acontecendo. Chegou a perguntar se ele tinha me machucado. Mas ele disse que não, e que nunca faria isso. Eu parei de me machucar no braço, porque não quero, e não queria que alguém achasse isso dele. Mas ela nunca teve coragem de me perguntar nada. Está aqui no meu braço, mas ninguém tem coragem. Eu não me poupei em nenhum momento. Aniversários, Ano novo, Natal, páscoa, qualquer dia, para mim era dia de me machucar. 
Por isso que quando eu vejo alguém se cortando eu logo penso ' Tem certeza que é essa á vida que quer?'. A lamina nunca vai te ajudar em nada. Ela vai traga a sua vida, vai sugar você, vai detonar você, vai te consumir. Ela é ruim, ela má, e quando você se envolve com ela, a sua " pouca sanidade " vai tudo pro ar. Você fica louca, só enxerga a dor. Não importa se o corte é pequeno ou se o corte era fundo. Isso não tem nada haver. 
Já ouvi algumas meninas dizer cada idiotisse. É por isso que eu nunca tinha muitas amigas, ou conhecia muita gente envolvida com isso. Porque tem muita gente com ideias tortas do que é uma auto-mutiladora (o). Ninguém nunca viu meus cortes, a não ser o do braço. Mas quantas vezes eu estava de casaco em um puta calor. Tudo pelo medo de alguém ver. Eu não fui á parques, ou piscina ou praias. Só pra ter ideia, a última vez que fui pra praia eu tinha 18. E minha família, vai todo ano. E eu nunca estou lá, eu nunca vou, e nem posso ir. Porque vão me perguntar, e eu não quero falar. Não é algo bonito, não é algo que quero atenção. Senão eu cortava a testa. 
Eu tenho vergonha do que sou. Por isso eu nunca quis contar, quando fiz o primeiro post apaguei. Não é desta Lua que eu quero falar. Quero falar da Lua verdadeira, a Lua de antes. A que amava a vida, que tinha vontades, a que tinha sonhos. Embora ela não exista, e não está nada fácil de construir ela de novo. Eu caio e recomeço. Eu já pensei em ir no psicológo, mas grana estava curta. Certo dia, eu andei vendo no livro de médicos, porque tenho convênio. E eu tinha uma dúvida se cobre, este tipo de médico. Ouvi dizer que sim, a minha tia precisou visitar o psicológo, quando a neta dela morreu. Mas eu me travei novamente, achando que eu poderia descobrir algo pior. Já tenho históricos desse tipo de coisa na minha família. E se eu passasse lá, provavelmente minha mãe iria saber. Então estou me programando de passar fora do convênio. Mas com essa crise, meu boy estava trocando de emprego. Então tenho que esperar. Mas só de pensar em ter que me " abrir e contar tudo " para alguém que nunca vi na vida. Me deixa em pânico. Mas não posso ficar assim, e por minha conta, com certeza não vou conseguir. Eu quase fiz isso no dia que eu estava estressada. Só não fiz por muito esforço mental. Muito! Mas não sei se vou conseguir de novo. E não quero decepcionar ele, ou me decepcionar.
Neste ano foi a mesma coisa. Mas alguns meses atrás eu fiquei sabendo de uma coisa muito ruim que andava acontecendo com o meu boy. Tão ruim como a auto-mutilação, que mantinha-se em mim. Eu fiz ele me prometer lutar contra aquilo ( não é drogas não tá ) e eu disse que me COMPROMETIA, eu não prometi nada, mas eu disse que ia me esforçar para não me machucar mais. Isso é o que ele queria, ficou tão feliz, e tão radiante. 
Mas eu já caí na " meia promessa ". Eu chorei tanto nesse dia, eu fiquei tão mal. Tão mal por ter caído, fiquei tão mal. Mas ele me beijou, e disse que tudo bem. E que não era pra eu ficar tão chateada assim, e que vicíos são assim mesmo. É com esforço, e com muita luta. 
O que contei hoje aqui é foi um resumo bem leve de mim. Espero que vocês não se afastem de mim. Acabei criando um amor tão grande por vocês. Toda vez que entro e vejo comentários no meu blog, sinto próxima de alguém. Eu peço que não se afastem de mim, por favor. Ah, droga tô quase chorando. Já vou indo, vou ajudar o boy a fazer os exercícios dele. 

Desculpem pelo post enorme. :(

Abraços da Lua 

16 comentários:

  1. Lua, Meu Deus, eu ... estou sem palavras, eu queria tanto te abraçar agora, seu texto está me arrancando algumas lágrimas, eu gostaria tanto de poder te ajudar de alguma forma, pois, eu entendo toda essa dor, apesar das nossas histórias serem bem diferentes, juro que eu queria te dizer as palavras certas agora, mas não consigo raciocinar nada útil nesse momento, afinal nunca consigo, sou pessima nisso, mas saiba que você nunca estará sozinha, eu estarei sempre aqui por você, rezando para que tudo fique bem, tens um coração muito bonito, e dói te ver assim tão machucada, você merece o que há de melhor, e isso chegará pra você com o tempo, mas por favor, não desista .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu mesma não tenho palavras para dizer nada também.
      Eu apenas... eu apenas quis ser sincera, e tudo foi pelo comentário da Ceci. Não quero fingir ser algo que não sou, eu gostaria que se lembrassem de mim, mas não assim. Me sinto mal escrevendo isso, e eu prometi que não ia escrever nada disso. Mas... não sei, eu tive que falar/ escrever...

      Estou tentando Sally, estou tentando...

      Excluir
  2. Olá minha querida!
    Como eu poderia me afastar de você ou do seu blog justamente quando leio um texto tão verdadeiro como este?!
    Você é uma pessoa incrível, admiro muito sua escrita. Eu gosto ler um texto que me permite enchergar a alma do escritor, e os seus textos me permitem isso.
    Seu relacionamento com seu boy é também admirável, imagino que devem se enter muito bem.
    Esse post só me fez gostar ainda mais desse cantinho aqui.
    Abraço! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, Senhora M. muito obrigada. Isto é apenas o que eu sou, o que eu infelizmente sou, gostaria de ser mais do que isso. Mas....

      Obrigada por este comentário. <3

      Excluir
  3. Lua, Lua. Eu te entendo...
    Aos poucos eu vou conseguindo parar de me machucar por fora. Praticamente todos os dias, com qualquer objeto afiado o suficiente, eu me cortava. Desde lâminas de apontador, canivetes, facas, estiletes, tesouras e, em casos extremos de desespero e sem nenhum desses por perto, até minhas unhas, que são longas e afiadas. Cravar minhas unhas na pele e ver os pedaços de pele debaixo da unha, o sangue escorrendo. Eu me sentia bem, pra te dizer a verdade. Mas o meu namorado (que na época ainda era meu melhor amigo) não gostava daquilo e se sentia mal. E como eu me sinto péssima se esconder qualquer coisa dele, ao invés de continuar me machucando em segredo, eu tentei parar. Eu tive um grande avanço, mas às vezes surto e acontece.

    Aliás, você não respondeu meu último email. Se você acha que eu fui grossa com você, eu entendo. Eu fui. Eu joguei em cima de você algo que a culpa é totalmente minha.

    Desculpa por tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luna ...
      Realmente não importa o que fazemos, ou como fazemos a dor sempre será a mesma. Ainda não tive tempo de olhar a minha caixinha de email, assim que eu entrar eu olho. Não precisa se desculpar, acontece... Não há como exigir nada de ninguém. Só estou feliz que está melhor, e que resolveu voltar.

      Abraços da Lua

      Excluir
  4. Oi, Lua!
    Jamais nos afastaríamos de ti, especialmente ao ver que você se esforçou em nos contar isso, imagino que seja difícil falar à respeito.
    Eu também me machuco, e não é algo de que me orgulho ou de que goste de falar. Só que às vezes a raiva e a dor são tão grandes que elas não passam enquanto eu não me ferir, seja com socos, tapas, arranhões ou com os cortes. As pessoas não entendem que isso não é frescura e muito menos brincadeira, infelizmente eu vejo várias adolescentes que pensam que automutilação é um jogo, e o fazem como se fosse algo legal. Isso é tão triste.
    Mas hey, você é muito forte garota, muito mesmo. E vai superar isso, eu sei que vai. Você está encarando o problema, pensando em procurar ajuda e se esforçando. Do mesmo modo que seu amor te apoia, nós aqui também iremos apoiá-la, certo?
    Um abraço carinhoso pra ti, e obrigada por compartilhar mais de si conosco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu sinto muito por você Ana.
      É tão triste, mas parece que aquilo é a única saída no momento. Mas não é, e só piora ao longo dos anos. Mas fico tão feliz por me entender...
      Torço para que nós possamos encontrar outras maneiras de lidar com a dor.

      Abraços da Lua anjo.

      Excluir
  5. Lua se alguem sair correndo de voc^e agradeca, pois a pessoa nao quer verdades, quer aparencias, e gente assim e' melhor longe mesmo.
    Fa'ca disso aqui sua terapia, abra-se, nao somos tao desconhecidas assim(lemos os diarios umas das outras, certo?) e nao custa $ nenhum.
    Sempre que se sentir mal, corre aqui em vez de fazer um novo corte :*
    E nao perca nunca o foco de recuperar o seu melhor, podemos sempre sonhar novos sonhos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uh eu não tinha pensado dessa forma hein, Alie .... ⊙﹏⊙ 

      Obrigada pelo concelho, estou tentando me manter longe. Acho que tem uma semana, desde a última vez que eu cai. Espero me manter mais firme.

      Obrigada εïз

      Excluir
  6. Adorei a nova cor do fundo e das letras, esse azul profundo combinou perfeitamente com o azul delicado das letras <3
    Lua sempre acertando ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei, demorou de achar esse fundinho. Mas ficou muito lindo.... <3

      Excluir
  7. O cutting começou a ser visto como "modinha" depois que algumas garotas perceberam o poder de polemica que tem e fizeram para chamar atenção, eu conheço meninas que fazem por atenção e meninas que fazem por... Digamos que necessidade emocional, como é no seu caso, isso funciona como uma droga, é um tipo de escape rápido que causa sensações no cérebro que levam a dependência
    Você precisa de tratamento, porque ao chegar numa certa idade as cicatrizes não somem, ai quando você se recuperar vai ter que conviver com as marcas no seu corpo que podem levar em una recaída (por causa das lembranças)

    É que nem a mia, tem menina que entra no automático, se come já vomita... A coisa vicia

    E destroi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também conheço.
      Elas acham que é um caminho aonde você mesma controla. E que é apenas um, já ouvi meninas querendo saber se é fundo ou não. E de que isso importa? Deu á atender que é competição, e é por si que as pessoas, não vêem de modo sério. '----'

      Eu tenho muitas marcas Ceci, muitas mesmo. No lado posterior quase perto do bumbum, eu pareço um caderno cheio de linhas. Sendo negra, as marcas são bem escuras. E quanto mais a lamina esta nova, mais a marca fica forte. Eu tenho certeza que preciso buscar ajuda profissional, porque só comigo mesmo, não vou conseguir.

      CASO ALGUÉM ESTEJA LENDO ISSO: Não faça isso, não faça. Não vai pensando que é uma vida fácil. E que é realmente é algum caminho, não é! Caminho é você buscar ajuda, e aprender a lidar com a coisas que acontece, e que aconteceram na sua vida. Você já é escrava da dor, vai virar escrava da Auto- Mutilação.

      Excluir
  8. Inevitavelmente chega aquele momento em que você olha pra trás e percebe o quanto se autodestruiu, e que hoje não é nem a sombra de quem era antes.
    E esta percepção da própria realidade é o primeiro passo para mudar, o segundo passo é procurar ajuda profissional e o terceiro passo é nunca desistir de reconstruir você mesma independentemente do que aconteça.
    Eu acredito que aquela pessoa alegre, sonhadora e cheia de vida ainda existe dentro de você, mas ela só vai ressurgir quando você tivera coragem de dissipar os próprios demônios.
    Obrigada por compartilhar tua história e conte conosco para vencer um dia de cada vez.


    Beijinhos ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, muito obrigada Anita Perfeita.
      Realmente eu necessito de força de vontade e muita garra. Hoje mesmo fiz um baita esforço para não me machucar devido os problemas na dieta. :((

      Muito obrigada por me entender.

      Abraços da Lua

      Excluir

Gentiliza gera gentileza, por favor respeite meu diário. Deixei seu nome e o do seu blog, que lhe faço uma visita assim que puder.
Obrigada <3