5 de junho de 2016

Um garota morta...

Na noite de sexta, me preparei para dormir... Mas o sono, não me quis como companhia. Abri meu livro de cabeceira, o 2° livro que tento ler este - Notas de um Velho Safado, Charles B. - Leio, mas rápidamente as palavras me fongem da mente. Tem barulhinhos no corredor, gato miando para a lua escondida, cachorros chorando pois gotas imensas de chuva caem sobre suas cabeças... Estou cansada, querendo dormir, mas nada neste mundo me faz dormir. Ligo a televisão, e me deito de barriga pra cima. Pisco uma vez, me vejo comendo um belo prato de macarrão com lindos pontos de veneno de rato por cima. Estou sorrindo, e feliz. Minha mãe está sentada na minha frente, e o Duda ao meu lado. Estou bem vestida, com um coque alto, e brincos bonitos. Estou feliz, como devagar, e sinto cada bolinha no meu sistema digestivo. Na última garfada, estou caida na cozinha. Pisco mais uma vez, ainda estou na cama, ouço o respirar do meu marido. Ok. Me viro várias vezes, que já nem me lembro mais das contas. Alguém bate na porta as 03:32 da manhã... Minha mãe diz com um hálito vencido de quem dormiu, e perdeu sono - " Quer chá? " Digo que sim, ela entra pela porta como um vulto escondido, trouxe um xícara de chá de maçã e canela, e adoçante. E fecha a porta em seguida, não coloco adoçante, me sento para beber. Já são 04, e eu já até passei base na unha, tento dormir de novo por volta de 04:40. Tem algo na televisão me espiando dentro da tela, pisco, me levanto tentando encontrar alguma coisa naquilo. Mas ele está lá, ou melhor ela...ignoro, e tento dormir. Acordo assusta das 8 horas em ponto... 

O dia foi normal, comprei coisas de higiene, me assustei com preços das coisas. E voltei para minha casa, com cheirinho de mofo, e palavras vazias. Odeio chuva. Já são 14 horas da tarde, e no meu estômago tem um lanche natural. Minha mãe está com a bruxa da irmã dela, com caldeirões enormes, fazendo comidinha para me engordar. Da minha casa posso sentir o cheiro de tortas, e canjica. Não nada demais, e em engordar e comer você depois. Já por volta das 20:00 e estou com os pés no chão, o que me causa uma crise de espirros. Estou procurando minha toalhinha, quando meus olhos cheios de dor, se tranformam em ódio. Tinha uma blusa minha, uma dessas que a gente usa debaixo de roupas transparentes, dentro do boné do meu marido com panos sujos. Se tem algo que me irrita, e me tira totalmente a paz, e toca a mão nas minhas coisas, sem eu autorizar. << justo porque respeito as pessoas >> Berro o nome dele, e com toda paciência explico para ele bem longe das minhas roupas. Ele não diz nada, só fica com a cara dele de paisagem. Falo por mais 30 minutos, porque além da minha blusa, tinha um fronha branca linda que minha mãe morre de ciumes. Estou cansada. Discutir com ele me tira totalmente do modo "ponto-mordo" e me coloca no modo "crise". Não dormi bem, e agora ele pega coisas de valor sentimental e mistura com panos, sujos e cheios de tinta. Ele não diz, mais nada, e pede um desculpas seca, e sem vida. Ainda por cima chamou um dos amigos deles para entrar na minha casa, e ir para o meu quarto, no atual momento que estou. Estou na cama, bufando de ódio, me sinto preste a esganar ele. Mas meus passos gordos, e apressados, vão direto pro banheiro, Me sento no piso frio, apoio o celular na minha balança-da-morte. E choro ali mesmo, me deito por mais de 20 minutos sozinha, ouvindo os monstros nos encanamentos. Meus olhos brilharam quando encontra um litro de desinfetante, azul, me lembro de sereias.. Destampo e penso em beber. Mas logo coloco de volta no lugar. Abro a porta apressada de novo, a procura do meu bracelete. - O infeliz deve ter escondido para eu não me cortar - Passo de cômodo em cômodo, e nem sei como já fui parar na outra casa... Encontro um enorme e antigo. Passo apressada por ele, e pego um lâmina já usada, em outras crises. Se eu entrar no banheiro com ela na mão, ele vai notar. Então deixo ela pousada rente a aba da calcinha. Escondo o bracelete no pulso, e o elástico de conter nas mãos. Abro a porta, e fecho com tudo atrás de mim. Ligo a torneira, e deixo a água cair... Pisco uma vez, lâmina, cortando o pulso, idiota:::fraca:::burra::estúpida:::gorda:::irritante:::inútil o sangue escorre, procurando uma saída dentro da minha manga longa preta. corto em cima daqueles já estavam cicatrizados. Vejo a carne se abrir, mas não me assusto, não mais. Coloco todo a parafernalha de volta no lugar. E sorrio, insanamente pro espelho. O cheiro do sangue está pelo quarto, os monstro estão nos encanamentos, o amigo dele está em volto a gordura e sangue. Ele está pintado com o sangue de uma garota morta, é morrer para poder viver... 



10 comentários:

  1. Ah Lua...


    Sua realidade é perturbadora, meus olhos queimam e enchem de lágrimas ao ler este blog, depois sinto-me impotente por não poder ajudá-la, e mesmo depois de desligar o computador, a sensação de desalento e desespero permanece comigo.
    A lista de coisas que te consomem diariamente é extensa:

    Insônia
    Visões
    Transtorno Alimentar
    Stress
    Tristeza
    Dor
    Medo
    Audição de vozes
    Pensamentos suicidas
    Automutilação

    Isso é preocupante, estarrecedor e angustiante para mim que sou uma leitora qualquer e não posso imaginar sequer por um instante como suportar tanta dor. Isso não é vida!
    Mas a Lua é forte, a Lua é uma sobrevivente de uma guerra interior, a Lua é uma garota que guarda esperança dentro de um coração ferido, eu reconheço sua coragem.
    Estou ansiosa para a chegada da terça-feira, mal posso esperar para que algum socorro te alcance, pois quero te ver em paz.



    Beijos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca tinha parado para ver dessa forma... Tipo tu listou todos meus problemas de acordo com que escrevo.
      Eu queria tanto vir aqui mais animada, cheia de foco, e palavras de persistência e ânimo. Mas não consigo, está não sou eu... Pelo menos a Lua cheia de esperança, foco e força, morreu faz tempo. Sobrou essa somnbra, cheia de dor, e negatividade... Meu relógio está contando e sinto, que tudo vai desmorar em pouco tempo...

      Excluir
  2. O que esta havendo entre você e Duda?

    Antes lia coisas sobre como ele te apoiava e amava. Hoje li um post muito diferente.

    Espero que as coisas melhore entre vocês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Dana...
      O Duda é o mesmo, ou talvez algo nele esteja mudando. De fato, eu e le não temos problemas com traição, humilhações e etc. Mas somos pessoas muito, mas muito diferente. Ele tem certas atitudes, que me deixam desolada... Todo ser humano tem problemas, e defeitos, mas tudo se vai na minha capacidade de enxergar ou não... E infelizmente tenho enxergado, coisas como, pegar minhas coisas sem me avisar ( já o suficiente pra eu querer esganar alguém ) entende? Mas já nos acertamos, ele me pediu desculpas....

      Excluir
  3. Sinto muito que as coisas não melhorem para você, Lua. =/
    Te entendo perfeitamente quanto ao fato de mexerem nas suas coisas... Também detesto que mexam nas minhas... Por sorte isso não tem acontecido aqui em casa já faz um bom tempo! O que é ótimo, pois nos últimos tempos eu tenho evitado ao máximo me estressar, já que no final das contas nunca vale a pena perder a paciência...

    Enfim... Desejo uma boa semana para ti e que dias melhores cheguem para você! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, é extremamente chato... E insuportável esse tipo de coisa, isto porque sou filha única.

      Excluir
  4. estou morta lua, não aguento mais essa vida, eu não sei nem mais qndo sou eu outro dos seres que habitam em mim tentando me enganar e sorrindo que está tudo bem, eu nunca sei descrever oq sinto, mas lendo como vc se sente eu sinto como se estivesse mais uma vez a me ver ali, irritada, chorando, no banheiro, e sentindo tudo isso, toda a tristeza e dor que tbm não suporto, nao quero enganar ngm e nem a mim msma, mas eu nao suporto isso, eu nao fiz mal a ngm pra merecer ser atormentada pelas vozes na minha cabeça, logo penso pq um anjo igual vc eh obg a te-lo em seu grude o tempo todo, queria ter poderer para arranca-los um a um, pra q a lua tivesse paz, mas nao consigo nem sequer ver os meus, como proceder ? desculpa, sei q ta confuso o meu texto, porem eé como sou , comoo vejo isso tudo, uma bagunça insana, q nao da vontade de concertar, mas eu leria e releria cada detallhe dos seus sentimos se pudesse abrir uma saida pra vc minha lua linda <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sinto muito Hina... É doloroso quando alguém se indentifica com um post como esse. Ainda mais porque tudo isto é real, é verdadeiro, aconteceu. Espero que você consiga retirar essas coisas da sua cabeça, assim como eu preciso também.
      Você é um doce! <3

      Excluir
  5. Que ruim te encontrar assim Lua.
    Gostaria de poder ajudá-la, e assim como a Anita me sinto impotente.
    O que mais me preocupa são os cortes. Existe uma linha tênue entre a automutilação e o suicídio.
    NÃO PERCA O FOCO, sua luta é pra ser magra não pra morrer.
    Se cuida, de verdade ♥

    P.s.: li seu post no Garotas de Vidro e amei, mas não consegui publicar meu comentário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Any ♥
      Eu sinto muito, queria tanto poder trazer boas novas... Mas sei lá, tá tudo tão difícil...
      Obrigada viu ♥

      Excluir

Gentiliza gera gentileza, por favor respeite meu diário. Deixei seu nome e o do seu blog, que lhe faço uma visita assim que puder.
Obrigada <3