19 de junho de 2016

Vozes

Eu acordo todo os dias sem motivo algum para viver. Os passarinhos cantam, ventos esbarram sobre as árvores. Pessoas dizem, bom dia. Algumas mulheres descabeladas colocam seu lixo para fora. Outros passeam com os cachorros, e recolhem seu jornal da porta. Cansativo. Os raios solares atravessam a minha porta de vidro, e eu me encolho procurando a escuridão. Não temo mais a escuridão, hoje em dia temo a luz. Tanto tempo no escuro, trancada, me fez gostar de lá. Alguns carros sobem a rua, com se funk, ou sertanejo no último volume. Tem festa na casa da esquina, eles gritam, dançam e bebem até as 07 da manhã. Enquanto eu me escondo numa caverna de cobertores, e estou vendo algum programa de televisão repetido. Em alguns momentos durante minha hibernação, me pergunto se toda essa gritaria e alegria são verdadeiras. Eu sei que muita gente gosta de viver, e que esse tipo de vida agitada são tudo para eles. Mas, é realmente verdade?! Todas manhãs, eu encaro o mesmo teto branco. Algumas aranhas se escondem nos quadros do meu quarto. Antes eu tinha medo, mas agora não tenho mais. Calço meus chinelos velhos, e vou cambaleante atrás da minha mãe. Tomamos o mesmo café, que antes tinha um sabor agradavel... Mas agora parece mato queimado. Não é culpa do café, ele é de boa qualidade até. Sou eu que fiquei amarga demais para sentir o sabor, e o cheiro. Pedaços de bolachas venenosas, se espalham pela cozinha. Pequenas gotas de promessa, trincam, e tudo desmorona. Mas os olhos da minha mãe, estão fechados, ela não enxerga que tudo está morrendo. Volto para minha caverna, a procura de ler um pouco para distrair a mente. Algumas raras vezes eu consigo, outras ela me vence, e eu largo de mão. Deito de barriga pra cima, e encaro novamente o mesmo teto. Os monstros nunca vão embora, eles estão na escuridão. Atrás da porta, debaixo da cama, atrás dos móveis, dentro do guarda roupas. Penso em chama-los, para sentar e conversar, mas nem mesmo com os monstros quero socializar. Minha vida se resume em celular e meu blog. As redes sociais "importantes" eu excluí, tudo porque toda aquela coisa me faz mal. Lembro que um dos meus primos de 7 anos disse: " Você já vai pro seu quarto? Aff, você não saí de lá né... " Incrível como uma criança de 7 anos pode notar algo, que nem a minha mãe notou. Na metade do dia, ou eu já chorei, ou estou no modo ponto morto, ou já me machuquei. Os almoços que deveriam ser a hora mais agradavél da família. Perdeu a graça, se eu pudesse  nem comeria, ficaria sozinha como sempre dentro da minha caverna. Mas minha mãe quer brincar de família feliz. A exaustão está comendo cada célula do meu corpo. De noite, é hora dos monstros querem me machucar. Eles cochicham entre si, tudo que eu sou, e que eu não sou. Ligo a televisão á fim de colocar no último volume, para não ouvir. Mas eles perfuram o ar, o som, o espaço e as vozes ficam dançando sobre minha pele. Minha visão fica embaçada, as letras dançam um tipo tango da morte, bem diante dos meus olhos. O Duda fala alguma coisa que eu não presto atenção. Muito barulho, cachorros latindo, pessoas falando alto, monstros cochichando... Sinto que vou enlouquecer. Me encolho na cama, e tapo os ouvidos. Algumas lágrimas molham meu lençol preto, e me faz querer vomitar. O Duda percebe tarde demais, eles já me envenenaram. Eu tremo um pouco, e ele coloca deitada pro lado esquerdo. Ouço ele gritar alto demais, tanto que me faz tapar os ouvidos de novo. Eu digo a ela, que não aguento mais. Ele me olha e não me diz nada. Alí me encolho, sobre minhas próprias lágrimas. 



12 comentários:

  1. Todos os dias é a mesma coisa, acabo vivendo no modo automático. Acordo já esperando a hora de puder voltar para a cama e assim vai, dia após dia, da mesma mesmice. Sobre a situação com a mãe, aqui também é a mesma coisa, me pergunto se ela ainda não percebeu que eu sou tudo, menos saudável. E às vezes paro e penso que talvez ela já tenha percebido, mas que é mais fácil fingir que tá tudo bem. Ela adora dizer que eu sinto preguiça, mal sabe ela que a preguiça é o de menos. Sigo viva, porque não sou forte o suficiente para acabar com ela. Me identifico muito com você e com o seu blog. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado Clara, é por isso que muitos não sabem indentificar o que é depressão. Acham que é preguiça ou frescura, só nós sabemos o peso das coisas. Espero que tudo isso mude algum dia ://

      Beijos <3

      Excluir
  2. Está tudo estragado. Eles estão de olhos fechados enquanto correm, tropeçando nos próprios pés. Mas as crianças são diferentes não é ? De qualquer forma, todas as pessoas que pensam um pouco podem perceber que há algo errado. Nem todos, quase ninguém pra dizer a verdade. As mães são bixos estranhos e encarrar o teto deveria ser proibido. Pensar demais faz mal, eu achei que fosse morrer naquele dia. Nem sempre funciona, mas continue com a distração. Fugir desse mundo estranho não parece uma ideia ruim.

    ResponderExcluir
  3. Olá Lua!


    "Tem festa na casa da esquina, eles gritam, dançam e bebem até as 07 da manhã...Mas, é realmente verdade?!"

    É uma verdade artificial, pois todos estão sob efeito de álcool e/ou outras drogas, é uma forma covarde de fugir da realidade.
    Isso não quer dizer que aquelas pessoas estão livres de problemas, na real quem vira alcoólatra ou fumante tem maiores chances de deteriorar o fígado com uma cirrose ou adquirir um câncer de pulmão, eles usam esses vícios para se autodestruírem rapidamente. É um pedido de socorro mascarado de diversão.
    No dia seguinte a ressaca baterá à porta de todos, só para lembrar que ninguém pode fugir da vida.

    "Algumas aranhas se escondem nos quadros do meu quarto. Antes eu tinha medo, mas agora não tenho mais."

    Desconfio que a aranha popozuda (apelidei de Valesca?!) deu cria!
    Lua, seus monstros se reproduzem, amiga isso é péssimo!

    "Lembro que um dos meus primos de 7 anos disse: " Você já vai pro seu quarto? Aff, você não saí de lá né... " Incrível como uma criança de 7 anos pode notar algo, que nem a minha mãe notou."

    Claro que sua mãe notou, e nota.
    Acontece que crianças sempre dizem a verdade, pois não entendem ainda o quanto palavras podem machucar.

    "Me encolho na cama, e tapo os ouvidos. Algumas lágrimas molham meu lençol preto, e me faz querer vomitar."

    Estou ansiosa para que os remédios cheguem nas suas mãos e acabem com essas malditas vozes e visões perturbadoras.
    Resista minha querida, e até o socorro chegar, continue sendo valente!

    Sei que para você viver tem sido um tremendo sacrifício, mas eu garanto que este não tem sido em vão, toda a sua dor está sendo imortalizada em poesia e prosa aqui neste blog.
    Obrigada por encontrar forças para escrever seu diário, pois o seu dom é um deleite para todas nós.


    Beijinhos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, valesca popozuda >< ( chorei )

      As visões, alucinações sei lá que droga é está que estou á ver é o que mais me irrita. Acordei está noite umas 3 vezes, todas em um susto tenebroso. :|
      E meu marido estava acordado jogando com meu cunhado. Ainda sim, tremi de medo. Obrigada por achar que tenho um dom, eu sempre disse pra minha mãe que eu não tenho nenhum talento. E por íncrivel que pareça ( ao invés dela dizer não ) ela concordava.

      Enfim...
      Obrigada por ler meu diário.
      Beijos Anita ❤
      Stay Strong!

      Excluir
  4. Olá Lua! ♥
    O poder de negação de uma mãe pode ser muito mais forte do que você imagina. Quero dizer, ás vezes sua mãe já percebeu que você vive mais dentro de seu quarto do que fora dele, mas é mais fácil para elas seguirem como se suas filhas estivessem bem e normais. É menos uma preocupação para elas... Ás vezes elas até se preocupam, mas negam para não sofrer. Sei lá, eu penso assim... Pois aqui não é muito diferente, na verdade é bem igual, infelizmente. Eu quando estou desanimada posso ficar até uma ou duas semanas sem tomar banho (sei que é nojento dizer, mas é verdade), e minha mãe que vive na mesma casa que eu nunca comentou sobre isso comigo, como se fosse algo que todo mundo faz. Eu sinceramente prefiro assim, pois evita conversas constrangedoras e ainda consigo manter minha privacidade não tocando em assuntos pertinentes apenas à mim mesma. Mas algumas pessoas poderiam interpretar isso como descaso, eu apenas interpreto como negação. Faria o mesmo se fosse ela, afinal ela já possui muitos problemas com os quais se preocupar para ficar se preocupando com a filha "esquisita" (eu me acho bem comum e normal, mas minha mãe costuma dizer que eu sou a esquisita e minha irmã é a normal).

    Mas eu vou ser bem sincera contigo... Acredito que sua situação mudará um dia, mais cedo ou mais tarde. Já falei isso por aqui e repito: nada na vida é imutável. Nós vivemos de momentos e ás vezes alguns simplesmente duram mais que outros. Geralmente os ruins são os que mais duram, mas ainda assim eles passam. E os seus irão passar, assim como o de todas nós. Confio nisso! ♥

    Fique bem, Lua. *-*
    E se cuide, ok? <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roxy... Eu nunca fiquei 2 semanas sem tomar banho, mas já fiquei 3 dias. Eu mal comia, mal levantava para fazer xixi, e nem se quer lembrei de cabelo, rosto, higiene, e outras coisas. A mente não quer, o corpo não vai. É bem simples... Eu sempre achei que uma mãe devia cuidar dos seus filhos independente do problema dele. Afinal filhos é uma coisa pra vida toda, como dizem. Mas ela não é assim, não somos próximas, as vezes falamos apenas 2 coisas no dia. Ela não gosta de mim, mas me respeita devido minha cara feia de todos os dias. Além de todo mundo dizer á ela, que tenho a personalidade ruim >< Vai entender...
      Eu não tenho esperanças que isso vá mudar... Mas vou ir tentando até aonde der.

      Você também Roxy, ❤❤ !
      Beijos
      Stay Strong

      Excluir
  5. Sabe essas pessoas de vida agitada? Então, muitas delas usam suas melhores máscaras, quem vê pensa que é feliz 24 horas, mas nem todas são como realmente parecem, já conheci gente que só finge, por que quando está só, abrem um lado que ninguém espera ver. E do que adianta ter uma vida badalada, cheia de festas, bebidas, amigos... Mas, também cheia de drogas, cheios de problemas na vida, sem amigo verdadeiro, sem um emprego, sem nenhuma formação...? Prefiro ser anti social, um nerd na escola, com poucos amigos, porém verdadeiros e família.

    "Eu acordo todo os dias sem motivo algum para viver", não vou negar, tem dias que também me sinto exatamente assim, mas acho que como eu me sinto na maioria dos dias é em busca da magreza, do peso meta, sério, acho que minha vida se resume a anorexia, sinceramente, sem ela não consigo viver do mesmo jeito, sei que pareço fútil, mas todas vez que leio seu blog consigo desabafar um pouco, pondo pra fora o que corrói por dentro.

    Lua, também não tenho mais paciência com redes sociais, aliás nelas todo mundo tem vida perfeita, alegre 24 horas... Já reparou?

    Desejo pra você uma ótima semana, você merece!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Ale...
      O que me irrita em rede social, é a futilidade e as repetições idiotas. Aquelas coisas de " No shopping aí que mara " aff, me da vontade de vomitar. Além do mais quero ficar no meu canto, nem mesmo perto de familiares eu quero ficar.
      Não é fútil, anorexia é uma doença. Ela está dominando o seu cérebro, e nem é culpa sua pensar assim. Coloque tudo o que te maltrata por dentro, quem sabe sua cicatrização é dessa forma?!
      Idem para ti meu amigo...
      Beijos
      Stay Strong

      Excluir
  6. Oi Lua
    Te desejo muita força nesse caminho de pedras. Tenho certeza que tudo vai se resolver
    Seja forte
    Bjos

    ResponderExcluir

Gentiliza gera gentileza, por favor respeite meu diário. Deixei seu nome e o do seu blog, que lhe faço uma visita assim que puder.
Obrigada <3