13 de julho de 2016

Amanhã é o dia ...

Eu ia deixar para vim aqui, depois da consulta com o psiquiatra. Quase não deu parar eu ir lá no médico, o meu cartão de passagem está zerado. E aonde é o tal médico, a passagem é caríssima. Mas eu tive que pedir para minha mãe, ou teria de desmacar, e marcar em outro dia. Mas o Duda ficou enchendo o meu saco, dizendo que não dava para esperar. Minha alma está profundamente doente. Eu mal saío de casa, e quando saío eu ando como um zumbi. As pessoas falam comigo, eu formulo a frase mas a boca não diz nada. Hoje mesmo eu tive que sair para resolver umas coisas, que minha mãe não consegue resolver. Eu andava e cada passo eu meio que cambaleava. Saí totalmente desengoçada e mal penteada, nem se quer escovei os dentes se querem saber. 
Eu me cortei várias e várias vezes nos últimos dias. Coxas, pulsos, que se dane o lugar... Eu coloco minha máscara de garota forte, e vou fingir para os meus poucos parentes. Mesmo com os cortes ardendo, ou doendo, que se foda a porra toda. Estou cansada e farta de tudo, minha mente não para. As aranhas que estão escondidas no meu teto, devem ter me envenenado enquanto eu dormia. Porque tudo que quero é que tudo isso acabe. Estou magoando profudamente o duda. Ontem ele chegou da igreja, e viu uma fita dessas de curativo. ( porque eu idiota esqueci a droga da fita em cima do roupão) quando reparei, já era tarde demais. Encarei o livro que eu estava "fingindo ler", ele pegou no meu braço com carinho. Mas puxei com toda força, e afoguei a cara no livro. Ele disse baixinho " você se mac..." eu não respondi, ele me encarou descendo o livro da minha cara, e eu tornei a enfiar ainda mais o livro na minha cara nojenta. Ele insistiu, e eu disse que sim. Ele se ofereceu para fazer um curativo, mas eu disse que não queria. Ele saiu, meio tonto, e eu disse "obrigado" baixo demais, nem sei se ele ouviu. Ele desceu as escadas, e ouvi ele mexer nas panelas. Eu chorei sozinha, enfiando a cara no livro, até que ele arranhasse meu nariz. Sequei as lágrimas, e tentei ler. Acordei no meio da madrugada assustada, e ele já estava na cama. De manhã quando fui fazer café, ele lavou toda a louça, varreu a cozinha, e limpou o fogão. Ou seja, ele realmente se entristeceu, porque ele sempre faz isso quando está triste. 
Passei o dia quieta, não havia nada para ser dito. Ele saiu as 07:50 para a campanha de oração na casa da mãe dele. E eu sai com a minha mãe. Quando eu cheguei, ele tinha limpado os quartos, tinha cheiro de lavanda. Me perguntou como estava meu pulso, e eu engoli a seco. Não sabia o que dizer, então dei de  ombros. Novamente no banho fiz a mesma coisa. Me pergunto porque sou assim, porque não sei lidar com nada. Nem mesmo sentimento de felicidade ( que sei que é algo raro), eu simplesmente não sei lidar. Quem vê pensa que me machuco somente por tristeza. Mas não é. Mesmo quando estou apática, eu me machucava/e me machuco. É como se qualquer tipo de sentimento, não fizesse sentido para mim. Eu queria saber aonde foi que me perdi... Mas não sei se quero ou vou me achar.
Desculpe pelo texto enorme, amanhã não sei vou aparecer por aqui. Até porque não sei como voltarei de lá. Mas venho lhes dizer como foi.  O link é de um canal de música que é simplesmente minha vida. Para quem gosta vale á pena, ouvir...



Escute clique Aqui.


2 comentários:

  1. Oi flor!
    Espero que vc realmente vá na consulta vc está precisando muito.
    Conversa com a médica sobre essa automutilação vc precisa tratá-la..
    Quanto ao Duda, eu realmente fico triste por ele, vc parece não permitir que ele se aproxime de você, lembre de quando vc casou, fez seus votos e escolheu ele pra compartilhar sua vida.
    Eu acredito que ele é a sua cura, você só precisa deixá-lo entrar..
    Fica bem linda s2

    ResponderExcluir

Gentiliza gera gentileza, por favor respeite meu diário. Deixei seu nome e o do seu blog, que lhe faço uma visita assim que puder.
Obrigada <3