4 de julho de 2017

Obediência

Eu sei que estou sumida, e que nada que eu diga vai mudar. Mas a verdade é que ando totalmente sem vontade de viver, sinto me como se estivesse nos últimos dias da minha vida. Os cortes voltaram cada vez mais fundo, cada vez maiores, cada vez mais doloridos. As noites são longas, pílulas descem pela minha garganta e me fazem ver o arco íris em meio a sangue a cinzas de cigarro. Parei de vez de comer, lfs não estavam ajudando, então não como. Viver a vida saudavelmente, também não. Então que assim seja, vou morrer de fome. Sinto ela me abraçando, devagar, suavemente enquanto se enrola nos meus ossos. Ela quer obediência, ela quer sinceridade, e eu vou dar tudo para ela. Em troca ela vai me dar números, sorriso, leveza, é só isso que importa mesmo.